Auxílio emergencial: novas parcelas que irá receber R$300?

Auxílio emergencial: novas parcelas que irá receber ?

Foi criada uma medida provisória que tenha umas regras da nova prorrogação do Auxílio Emergencial, que foi publicada no “Diário Oficial da União”, nesta quinta-feira, 3 de setembro.

O texto enviado ta proibindo algumas pessoas não receba este benefício, como detentos que estão em regime fechado e pessoas que moram em outro países, que chegaram a receber parcelas no valor de R$ 600 antes de serem tirados do programa por não ter direito.


Nesta terça-feira, 1 de setembro, o presidente Jair Bolsonaro, anunciou que o programa seria prorrogado mais uma vez e que teria o valor reduzido para R$ 300.

Como receber?

O texto determina também que quem já é favoritado do Auxílio Emergencial não vai precisar solicitar o pagamento das novas parcelas – elas vão ser pagas independentemente do pedido, desde que o beneficiário atenda aos critérios.


O calendário das seguintes prestações do Auxílio Emergencial ainda não foi publicada pelo governo federal. Porém, o auxílio vai prosseguir até o dia 31 de dezembro de 2020.

A MP também cria a probabilidade,da cota dos beneficiários que receberam menos de quatro parcelas de R$ 300: segundo o texto.

Não irão receber novas parcelas


Quem deixa de receber o auxílio?

Conseguiu emprego formal depois do recebimento do Auxílio Emergencial


Está ganhando algum benefício previdenciário, seguro-desemprego ou programa de transferência de renda federal depois o recebimento de Auxílio Emergencial

Quem tem renda mensal maior que meio salário mínimo por pessoa e renda familiar mensal total acima de três salários mínimos

Vive no exterior


Mas, a pessoa que ganhou em 2019 rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70

Veja também:

Bolsonaro vai oficializar prorrogação do auxílio emergencial AMANHÃ


Quem possuía em 31 de dezembro de 2019 a posse ou alguma propriedades de bens ou direitos no valor total maior a R$ 300 mil reais

Contudo, no ano de 2019 ganhou bens isentos não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte que seja maior a R$ 40 mil


Por fim, quem foi declarado como dependente no Imposto de Renda de alguém que se enquadre nas hipóteses dos itens 5, 6 ou 7 acima

Fonte: G1