Desembargador que humilhou o guarda municipal é “punido” com R$ 35 mil ao mês sem trabalhar

O vice-presidente nacional do Cidadania, o deputado federal Rubens Bueno do PR, determinou como zoação o caso do desembargador Eduardo Almeida Prado Rocha Siqueira, que insultou um guarda municipal na cidade de Santos, em São Paulo, depois que foi questionado por não estar usando máscara em um lugar público, vale dizer que o mesmo foi afastado e mesmo assim, ele continua recebendo um salário de R$ 35,4 mil.

A dispensa do desembargador sucedeu depois de uma determinação do CNJ, na última terça-feira, 25 de agosto.

Vale lembrar que o órgão deu iniciativa em um processo administrativo-disciplinar contra o desembargador.

Essa decisão foi dada pouco mais de um mês depois que Siqueira humilhou um guarda municipal que estava na praia de Santos, o mesmo fez a abordagem exigindo o uso de máscara. Naquela circunstância, o desembargador falou que o funcionário era“analfabeto”, e ligou para o secretário de segurança pública para demandar a situação e ainda rasgou o documento da multa.


O vice-presidente do Cidadania ainda falou que cerca de 58 magistrados acabaram sendo punidos com aposentadoria compulsória a partir de 2009 e ainda disse que 35 juízes de primeira instância, e também 22 desembargadores e contando com um ministro do STJ, praticaram crimes e ao invés deles receber alguma punição, eles receberam um prêmio.

No caso, essas pessoas não precisam mais ir trabalhar e de quebra, eles são aposentados que têm salários.

fonte: R7