Mulher pode ter se curado da Aids sem precisar de tratamento médico

Mulher pode ter se curado da Aids sem precisar de tratamento médico, entenda essa história !

Infelizmente, uma pequena quantidade de pessoas que foram infectadas com o vírus da aids (HIV), mostrou que conseguem controlar esse vírus sem ter a necessidade de seguir um tratamento com medicamentos antirretrovirais e atualmente, tem um estudo sobre eles no qual são chamado de “controladores de elite” e eles são de grande ajuda nas pesquisas para encontrar a cura.

Motivos reais – Curado de Aids !


Vale dizer também que entre as pessoas que estão participando do estudo, uma moça parece ter conseguido se curar sem ter feito o uso do tratamento com os remedios au até mesmo o transplante de medula.

De acordo com o jornal The New York Times, a moça se chama Loreen Willenberg e ela tem 66 anos. Essa senhora é muito famosa entre os pesquisadores, isso porque o corpo dela conseguiu suprimir o vírus por anos depois de ela ter sido infectada.

Veja também:

Pais vendem recém-nascido após hospital os obrigar a pagar pela cesariana


Vale lembrar que a maioria das pessoas que são soropositivos, elas precisam tomar um coquetel de medicamentos antirretrovirais para conseguir controlar o vírus.
Vale lembrar que o tratamento tem que ser mantido continuamente devido a natureza da doença e da maneira em que ele se replica.

Quando o vírus entra em contato com o corpo, a doença coloca várias cópias do seu material genético dentro do DNA das células e vai penetrando de maneira eficaz no organismo da pessoa infectada.

Esses reservatórios do vírus permanecem encastoado da mesma ingestão antirretrovirais e se o paciente acaba interrompendo o tratamento.

O vírus vai acabar criando cópias inteiras dele – chamadas de genomas virais intactos – eles podem proliferar, e acaba trazendo a doença de volta.

Porém em uma pequena parte desses soropositivos — menos de 0,5% — conseguem realmente controlar o vírus sem precisar da medicação. Eles são chamados reservatórios do vírus HIV não parecem que se comportam da mesma forma.

Fonte: G1