Estrada de chão: família carrega caixão de idosa vítima de Covid-19

Por quê muitos corpos de vítimas de COVID-19 estão em estrada de chão? Confira !

Cerca de mais de 124 mil pessoas já perderam sua vida por causa do coronavírus aqui no Brasil e a idosa Maria Luiza dos Santos, de 75 anos, acabou sendo mais um número nessa contagem. A senhora morreu em Vassouras, cidade do sul do estado do Rio de Janeiro. 

O que mais deixou marcado a morte da senhora foi a forma de como ela precisou ser enterrada. A sua família precisou carregar o caixão por 25 minutos para que o velório pudesse começar.

Por quê ainda vivemos enterros em estrada de chão ?

Lívia Godoy, neta de Maria Luiza, ficou revoltada com essa situação que seus familiares tiveram que vivenciar e decidiram compartilhar a história na internet. Ela ressaltou que toda a família está de luto por causa da perda de sua avó

É o  desejo de todos que estavam presentes,  era conseguir dar enterro decente para Maria, porém por causa de tudo que eles  presenciaram, acabaram que não tiveram mais nenhuma alternativa a não ser compartilhar essa história. Lívia não quer que nenhuma pessoa tenha que passar por isso novamente.

Veja também:

Médico fica 23 dias na UTI com covid e faz rifa depois de dívida de R$ 180 mil

Por 25 minutos os familiares tiveram que carregar o caixão para chegar no o cemitério de Cachoeirinha. A estrada tem um difícil acesso e também possui muitos obstáculos como por exemplo: pedras no caminho e a falta de iluminação.

Esse caso viralizou e revelou que ocorreu um atraso da funerária. O enterro ia acontecer às 15h da tarde, porém o corpo da senhora só chegou após as 18h.

Fonte: G1