STJ mantem decisão de afastamento governador Wilson Witzel

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, fala à imprensa após reunião com o presidente da República, Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto.

A decisão que acabou pedindo o afastamento do atual governador do Rio de Janeiro, faz parte da Operação chamada de Tris In Idem, essa investigação analisa as irregularidades e também os desvios de recursos da saúde, no estado.

A Procuradoria-Geral da República pediu a prisão do governador, entretanto esse pedido acabou sendo negado pelo STJ.

Veja também:

Governo quer 2 anos de experiência para efetivar funcionário público


Eles entenderam que o suficiente seria afastar o governador, isso iria evitar as supostas ações criminosas. Entretanto, vale dizer que o STJ expediu 17 mandados de prisão contra o governador. Vale lembrar que desses 17 mandatos, seis são preventivas e onze são temporárias, e ele tem 83 mandatos para busca e apreensão.

O ministro Benedito Gonçalves também mandou buscas contra a primeira-dama, Helena Witzel que possui contratos com algumas empresas que estão envolvidas em esquema de desvio de dinheiro.

A defesa de Witzel falou sobre a decisão da justiça de afastar o governador, e criticou também por essa decisão ter sido dada apenas por um ministro e não pelo colegiado e também pediu para fazer a suspensão do julgamento ao STF.


Vale dizer que o ministro Dias Toffoli, que é o presidente do STF, negou esse pedido. Antes de ser realizado o julgamento e falou que essa decisão não cabia o Supremo decidir.

Fonte: globo